Sex, 17 maio
18:00
a Sex, 14 Jun 2024
18:00

Biblioteca Municipal de Santarém/Casa-Museu Anselmo Braamcamp Freire


Exposição Meditando ao luar com Braamcamp Freire Exposição de pintura e instalações picturais
LER MAIS
Meditando ao luar com Braamcamp Freire
Exposição de pintura e instalações picturais “Meditando ao luar com Braamcamp Freire”, trabalhos da autoria de José Quaresma

Sex, 17 Mai., 18h00 – inauguração

Seg a sex, 09h30 às 18h00 I Casa-Museu Anselmo Braamcamp Freire - Biblioteca Municipal de Santarém

Patente até 14 de junho

“Meditando ao luar” com Braamcamp Freire

A interligação da minha pintura com diferentes espaços museológicos, instalando-a em Lisboa, Évora, Porto, agora nesta bela Casa de Braamcamp Freire, em Santarém, daqui a três meses em Arraiolos, futuramente noutros Museus e Casas-Museus, tem a sua ancoragem numa experimentação levada a cabo há muito tempo, nos “verdes anos” de jovem artista e estudante. Como se tem verificado pelas diversas exposições e catálogos que disponibilizo, as propostas visam sempre a apropriação criativa de obras de arte, temas, objetos, ou espaços, contribuindo para uma modificação localizada e subtil de alguns “recantos” que caracterizam estes lugares expositivos.

A entrada em museus com o propósito simultâneo de contemplação artística e de investigação (mesmo que esta se caracterize por realização de “cópias” dos artistas que nos fazem “cativos”, durante as faixas etárias propícias a essa assimilação “picada” pelo espanto), produz muitas réplicas no nosso espírito e na nossa atividade como artistas, sempre inquietos na procura de um “cais” no caudal imemorial do rio que é o elemento pictural. Desta maneira nos vamos diferenciado dos cais anteriores onde já ancorámos e instalámos cavaletes e outros dispositivos da prática da pintura, da instalação e do desenho.

Há cinco anos, em 2019, iniciei uma nova fase da minha atividade criativa, dando, porém, continuidade a uma prática artística que havia iniciado em 1978. Numa primeira fase, entre 1978 e 1981, com a necessidade de imergir “virtualmente” nos museus: o meu querido Mestre Américo Marinho, ele com 70 e eu com 14 anos, emprestava-me estampas de artistas portugueses e internacionais para eu observar, estudar e interpretar, desenhando e pintando copiosamente a partir daquelas imagens impressas, curiosamente também com a indicação para ver as gravuras de Rembrandt que a Biblioteca de Anselmo Braamcamp Freire possui. Estas imagens eram contextualizadas pelo próprio Américo Marinho, fazendo ele alusão aos Museus em que as obras se encontravam e quais tinha visto ao vivo. Numa segunda fase, entre 1981 e 1995, imergi realmente nos museus de que Marinho me falava, mas também em muitos outros de arte contemporânea. Em fases posteriores, já com muitas conquistas plásticas assimiladas, portanto, já disponível para refletir e me distanciar das referências museológicas dos primeiros anos, decidi desenvolver um trabalho inteiramente diferente, incluindo incursões na instalação artística com mediação de várias tecnologias e linguagens.

Hoje, como já referido, desenvolvo projetos específicos para Museus e Casas-Museus, tal como sucede com esta exposição, na qual podemos observar imagens que incluem uma reinterpretação gráfica de uma fotografia de grandes dimensões de Braamcamp Freire, diversas alusões a detalhes da biblioteca, incluindo uma pintura com planos de um móvel aqui existente que contém areia de Muxima (Angola), ou então, duas interpretações de uma pintura de Miguel Ângelo Lupi, Meditando ao Luar, título que enxertei na designação desta exposição.

José Quaresma
Dom, 19 maio
16:00
a Ter, 30 Jul 2024
17:30

Casa Pedro Álvares Cabral/Casa do Brasil


Exposição Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte Homenagem de Santarém ao pintor Silva Palmeira
LER MAIS
Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte
Exposição "Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte"

HOMENAGEM DE SANTARÉM AO PINTOR SILVA PALMEIRA

Santarém, Casa do Brasil (19 de maio a 30 de Julho)

Dia 19 de Maio (Domingo) - 16h00

— Homenagem Municipal ao escalabitano Silva Palmeira, no 90º Aniversário

— Lançamento de uma serigrafia no contexto da homenagem a Silva Palmeira. Centro Português de Serigrafia

— Inauguração da Exposição “Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte” alusiva à sua obra

— Beberete

Biografia Silva Palmeira

1934 - Nasce em Santarém a 19 de Maio de 1934, Carlos Alberto da Silva. Fica órfão da mãe à nascença. Desde muito novo adota o nome artístico Silva Palmeira.

Trabalha em cerâmica artística como pintor na fábrica de louças domésticas, artísticas e regionais de António Inês Ferreira conhecida por «Maritália», na Senhora da Guia, Santarém, atividade que manteve de 1948 até 1954. Enquanto um dos vários trabalhadores desta fábrica de faianças, assina com as siglas CS [Carlos Silva] e SP [Silva Palmeira]. Dedica-se também à escultura.

1957-1958 - Expõe pela primeira vez em Goa, na 1ª Exposição de Artes Plásticas, de que foi organizador e curador.

Pinta o teto da Capela Militar de Ribandar, em Pangim, mas o trabalho ficou por acabar.

1962 - Exposição de Motivos Ribatejanos na Casa do Ribatejo, em Lisboa onde expõe trabalhos seus. Em Santarém, priva com os poetas Herberto Hélder e António José Forte, então responsáveis pela Biblioteca Móvel da FCG.

1963 - Primeira exposição individual (Abril), no Salão de Turismo, em Santarém. Neste ano organiza e participa a Exposição de Pintura de Artistas Ribatejanos, no Salão da Camionagem Ribatejana, acabado de construir. Entre os pintores desta mostra constavam A. Braz Ruivo, Cadima Tavares, Dionísio Anjos, Francisco Vilela e o jovem Vasco Andrade Rodrigues, que já apresentara trabalhos com ele em 1962. Em Santarém tem ateliê, na Travessa da Roda.

1966 - Visita o Louvre, o Museu de Arte Moderna e o Pavilhão dos Impressionistas do Jardin des Tuileries, para ver as retrospectivas de Picasso e de Edward Pignon (1905-1993), este último da Nova Escola de Paris. Conhece pessoalmente o pintor Pignon. Viagem Paris-Praga. Visita a Bélgica e a Espanha. Deixa vários trabalhos em coleções particulares.

1967 - Regressa de Paris. Fixa-se temporariamente na Nazaré, vila piscatória onde mantém ateliê, com Cadima Tavares. Descobre a relação entre as linhas curvas dos Delaunay e os barcos de pesca daquela vila piscatória. Expõe colectivamente em Monte-Real e na Comissão Municipal de Turismo da Nazaré, com Cadima Tavares.

Exposição de Pintura em Santarém, no Círculo Cultural Scalabitano – Silva Palmeira 67, cujo catálogo abriga um inédito do poeta surrealista António José Forte. Palmeira oferece-lhe o óleo Metamorfose. De 1964 a 1971, Silva Palmeiro vive o seu período experimental, sempre com inúmeras novidades estéticas e influências pictóricas, incluindo a pintura com colagens.

1970-1971 - Exposições colectivas em Oceanside, San-Diego na Califórnia e San-Angelo no Texas, organizadas pela Galeria Sesimbra de Lisboa. Exposições colectivas na Galeria Vilamoura e no Hotel Balaia em Albufeira (Algarve). Exposição na Galeria Portimão no Algarve. Exposição colectiva de Arte Portuguesa Contemporânea no The Barclay em Filadélfia (11 a 23 de Outubro), ao lado de Gomes Martins, Manuel Jorge e Querubim Lapa.
Qui, 23 maio
18:00

Centro Histórico


Literatura/Publicação/Leituras O último engraxador de Santarém – memórias de Vítor Tomé autoria de João Serrano,
LER MAIS
O último engraxador de Santarém – memórias de Vítor Tomé
“O último engraxador de Santarém – memórias de Vítor Tomé” da autoria de João Serrano, e edição da Associação Independente para o Desenvolvimento Integrado de Alpiarça (AIDIA), com o apoio do Município de Santarém.

Apresentação dia 23 de maio pelas 18h00, no Café Central, com a presença de Vítor Tomé e família.

“O último engraxador de Santarém – memórias de Vítor Tomé” da autoria de João Serrano, e edição da Associação Independente para o Desenvolvimento Integrado de Alpiarça (AIDA), com o apoio do Município de Santarém, resulta numa memória recolhida em entrevista entre 2016 e 2023, focada nas vivências deste intérprete de uma profissional tradicional, transmitindo memórias sociais fundadas, sobretudo, nas décadas de 40, 50 e 60 do século XX em Santarém. Na introdução e nas notas foram identificadas pessoas, instituições e/ou acontecimentos através de métodos de investigação histórica permitindo alicerçar documentalmente este testemunho e/ou confrontar a memória como visão inacabada do passado. “Uma estátua em erosão”, na paráfrase de José Saramago.
Sex, 24 maio
14:30

Teatro Sá da Bandeira

Sex, 24 mai 14h30 – prioridade público escolar (ensino secundário) Sáb, 25 mai 21h30 Teatro | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária M/16 | Duração 75 min.

Teatro Coisas Que Ardem Facilmente de Vedrana Klepica (Croácia)
LER MAIS
Coisas Que Ardem Facilmente
Coisas Que Ardem Facilmente, de Vedrana Klepica (Croácia)

Sex, 24 mai

14h30 – prioridade público escolar (ensino secundário)

Sáb, 25 mai

21h30

Teatro | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária M/16 | Duração 75 min.

Espetáculo falado em croata, com legendas em português

Preço: 5€ | Descontos: escolas gratuito

Sinopse: Existe um lugar modesto, longe de qualquer civilização ou cidade maior, onde as pessoas que foram afectadas por uma grande catástrofe natural (quiçá provocada pelo homem) vivem em condições relativamente simples. Algumas destas pessoas acreditam que foram alvo de uma injustiça épica e irreparável, e que deve existir um sistema que assuma responsabilidade e que as compense pelas consequências sofridas. Quanto mais não seja, os membros da comunidade devem partilhar um espaço de conforto. Outros não acreditam em tais coisas. O seu ceticismo dita uma imagem muito rigorosa do mundo, em que todos os indivíduos constituem uma potencial ameaça e a única certeza advém do isolamento social e societal, do afastamento de estruturas sociais complexas e da construção autónoma dos seus próprios sistemas de sobrevivência e de crença. Estes dois princípios - um interligado, outro alienado -, anulam-se mutuamente. Quando uma nova ameaça surge no horizonte, a tragédia transforma-se num insuportável mal-entendido entre estes dois princípios.

Espetáculo desenvolvido no âmbito do projeto Stronger Peripheries: A Southern Coalition (Tandem “Work and Happiness”), cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia, com coprodução da ARTEMREDE/Município de Santarém.

Biografia

Vedrana Klepica (Croácia) é escritora e encenadora. O seu trabalho centra-se sobretudo em temas de classe, privilégio e patriarcado, e é influenciado pelo documentário, teatro pós-dramático e por uma abordagem interdisciplinar à criação. As suas peças foram apresentadas em grandes e pequenos palcos na Croácia e no estrangeiro - Reino Unido, Austrália, Argentina, Chile, Áustria, Sérvia, Alemanha, França, Luxemburgo e Liechtenstein. Incluem-se entre as suas obras: J.A.T.O, To Fuck Because We Want To, The Tragic Death of the Economic Analyst, The Whistle-blower, Prairie Oysters, Our class, Lepa Brena Project, Instructions for Understanding Multiannual Plants, Keinberg, Mileva, entre outras. As suas peças foram traduzidas para inglês, francês, alemão, polaco e espanhol.

Ficha artística

Texto e direção Vedrana Klepica | Interpretação Vladimir Aleksić, Hrvojka Begović, Lea Jevtić | Direção de movimento Magdalena Reiter | Cenografia e figurinos Petra Pavičić | Música e desenho de som Hrvoje Nikšić | Desenho de luz e vídeo Luka Matić | Fotografia Jelena Janković | Tradução Marija Andrijašević | Assistente de direção e assistente de palco Srđana Vrsalović | Produção e distribuição Silvija Stipanov | Mediador Santarém Gabriel Silva | Agradecimentos residência de pesquisa Santarém Ana Bernardo, Andreia Sousa Mendes, AGIF, Agrupamento de Escolas Dr. Ginestal Machado, Professores Luís Mouzinho e Sara Gabriel e alunos do Curso Profissional de Intérprete, AP Flor, ASPEA - Associação Portuguesa de Educação Ambiental, Associação Reflorestar Portugal, AVIGP - Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (Dina Duarte), Camilo Solnado, GEOTA - Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, Graça Lázaro, Grupo Desportivo e Cultural “Os Galitos da Várzea”, Iara Peixoto, Inluto - Associação Portuguesa de Cuidados Integrados no Luto, João Camargo, João Carvalho, João José, Katarina Ferreira, Manuel Botelho, Nélio Gomes, Oikos, Quercus, Ricardo Venâncio Lopes, Rui Carvalho, Rui Rosinha, Simão Botelho, Tiago Mota Saraiva, WWF Portugal | Coprodução Ganz New Culture of Change (HR), POGON - Zagreb Center for Independent Culture and Youth (HR) e ARTEMREDE (PT) em associação com o Município de Santarém (PT), no âmbito do projeto Stronger Peripheries: A Southern Coalition, cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia | Parceiro institucional República Portuguesa - Cultura I Fundo de Fomento Cultural / Direção-Geral das Artes | Apoio cidade de Zagreb, Ministério da Cultura e dos Media da República da Croácia, Fundação Kultura Nova | Parceiro Festival Belef (RS) | Apoio à residência Centar mladih Ribnjak (HR)

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Sáb, 25 maio
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Teatro Coisas Que Ardem Facilmente de Vedrana Klepica (Croácia)
LER MAIS
Coisas Que Ardem Facilmente
Coisas Que Ardem Facilmente, de Vedrana Klepica (Croácia)

Sáb, 25 mai

21h30

Teatro | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária M/16 | Duração 75 min.

Espetáculo falado em croata, com legendas em português

Preço: 5€ | Descontos: escolas gratuito

Sinopse: Existe um lugar modesto, longe de qualquer civilização ou cidade maior, onde as pessoas que foram afectadas por uma grande catástrofe natural (quiçá provocada pelo homem) vivem em condições relativamente simples. Algumas destas pessoas acreditam que foram alvo de uma injustiça épica e irreparável, e que deve existir um sistema que assuma responsabilidade e que as compense pelas consequências sofridas. Quanto mais não seja, os membros da comunidade devem partilhar um espaço de conforto. Outros não acreditam em tais coisas. O seu ceticismo dita uma imagem muito rigorosa do mundo, em que todos os indivíduos constituem uma potencial ameaça e a única certeza advém do isolamento social e societal, do afastamento de estruturas sociais complexas e da construção autónoma dos seus próprios sistemas de sobrevivência e de crença. Estes dois princípios - um interligado, outro alienado -, anulam-se mutuamente. Quando uma nova ameaça surge no horizonte, a tragédia transforma-se num insuportável mal-entendido entre estes dois princípios.

Espetáculo desenvolvido no âmbito do projeto Stronger Peripheries: A Southern Coalition (Tandem “Work and Happiness”), cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia, com coprodução da ARTEMREDE/Município de Santarém.

Biografia

Vedrana Klepica (Croácia) é escritora e encenadora. O seu trabalho centra-se sobretudo em temas de classe, privilégio e patriarcado, e é influenciado pelo documentário, teatro pós-dramático e por uma abordagem interdisciplinar à criação. As suas peças foram apresentadas em grandes e pequenos palcos na Croácia e no estrangeiro - Reino Unido, Austrália, Argentina, Chile, Áustria, Sérvia, Alemanha, França, Luxemburgo e Liechtenstein. Incluem-se entre as suas obras: J.A.T.O, To Fuck Because We Want To, The Tragic Death of the Economic Analyst, The Whistle-blower, Prairie Oysters, Our class, Lepa Brena Project, Instructions for Understanding Multiannual Plants, Keinberg, Mileva, entre outras. As suas peças foram traduzidas para inglês, francês, alemão, polaco e espanhol.

Ficha artística

Texto e direção Vedrana Klepica | Interpretação Vladimir Aleksić, Hrvojka Begović, Lea Jevtić | Direção de movimento Magdalena Reiter | Cenografia e figurinos Petra Pavičić | Música e desenho de som Hrvoje Nikšić | Desenho de luz e vídeo Luka Matić | Fotografia Jelena Janković | Tradução Marija Andrijašević | Assistente de direção e assistente de palco Srđana Vrsalović | Produção e distribuição Silvija Stipanov | Mediador Santarém Gabriel Silva | Agradecimentos residência de pesquisa Santarém Ana Bernardo, Andreia Sousa Mendes, AGIF, Agrupamento de Escolas Dr. Ginestal Machado, Professores Luís Mouzinho e Sara Gabriel e alunos do Curso Profissional de Intérprete, AP Flor, ASPEA - Associação Portuguesa de Educação Ambiental, Associação Reflorestar Portugal, AVIGP - Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (Dina Duarte), Camilo Solnado, GEOTA - Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, Graça Lázaro, Grupo Desportivo e Cultural “Os Galitos da Várzea”, Iara Peixoto, Inluto - Associação Portuguesa de Cuidados Integrados no Luto, João Camargo, João Carvalho, João José, Katarina Ferreira, Manuel Botelho, Nélio Gomes, Oikos, Quercus, Ricardo Venâncio Lopes, Rui Carvalho, Rui Rosinha, Simão Botelho, Tiago Mota Saraiva, WWF Portugal | Coprodução Ganz New Culture of Change (HR), POGON - Zagreb Center for Independent Culture and Youth (HR) e ARTEMREDE (PT) em associação com o Município de Santarém (PT), no âmbito do projeto Stronger Peripheries: A Southern Coalition, cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia | Parceiro institucional República Portuguesa - Cultura I Fundo de Fomento Cultural / Direção-Geral das Artes | Apoio cidade de Zagreb, Ministério da Cultura e dos Media da República da Croácia, Fundação Kultura Nova | Parceiro Festival Belef (RS) | Apoio à residência Centar mladih Ribnjak (HR)

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Dom, 26 maio
17:00

Teatro Sá da Bandeira


Cineclube de Santarém O Pior Homem de Londres Cinema | de Rodrigues Areias
LER MAIS
O Pior Homem de Londres
Cinema | O PIOR HOMEM DE LONDRES, de Rodrigo Areias

Cinema | Dom, 26 mai | 17h00 | Teatro Sá da Bandeira

Preço público geral » 5€ | sócios Cineclube » 2,5€ | bilhete jovem até 30 anos » 1€ | bilhete jovem até 30 anos sócio cineclube » entrada gratuita

Sinopse: Na Londres da época vitoriana, por entre a comunidade artística e a conspiração política, movimenta-se um homem de espírito aventureiro e grande argúcia: Charles Augustus Howell, the Portugee, nascido no Porto de mãe portuguesa e pai inglês, agente de grandes artistas e negociador de arte, agente secreto e mestre na chantagem. Arthur Conan Doyle fê-lo personagem das histórias do detective Sherlock Holmes e apelidou-o de o pior homem de Londres.

Título original: O Pior Homem de Londres

De: Rodrigo Areias

Elenco: Albano Jerónimo, Simon Paisley Day, Edward Ashley, Victoria Guerra, Scott Coffey

Drama/Crime, POR, 2023, cores, 127 min., M/12

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Qua, 29 maio
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cineclube de Santarém O Mal não está aqui Cinema | de RYŪSUKE HAMAGUCHI
LER MAIS
O Mal não está aqui
Cinema | O MAL NÃO ESTÁ AQUI, de RYŪSUKE HAMAGUCHI

Cinema | Qua, 29 mai | 21h30 | Teatro Sá da Bandeira

Preço público geral » 5€ | sócios Cineclube » 2,5€ | bilhete jovem até 30 anos » 1€ | bilhete jovem até 30 anos sócio cineclube » entrada gratuita

Sinopse: Takumi e a sua filha Hana vivem numa aldeia perto de Tóquio de forma modesta e em harmonia com os ciclos da natureza. Mas um projecto de construção de um parque de glamping – campismo de luxo – ameaça desestabilizar a comunidade, interferindo no abastecimento de água e desequilibrando profundamente a vida de quem aí habita. Uma alegoria sobre o preço que pagamos por desrespeitar a natureza, O Mal não Está Aqui transmite uma mensagem familiar, mas cujo impacto é aqui tremendo. À linguagem visual arrebatadora do cineasta associa-se a banda sonora irresistivelmente bela de Eiko Ishibashi, que trabalhara com Hamaguchi no oscarizado Drive My Car, num filme que foi recebido com uma ovação em pé de oito minutos no Festival de Veneza, e que valeu a Hamaguchi o Grande Prémio do Júri, ao que se seguiram outros prémios em vários festivais, o que faz dele uma das estreias mais aguardadas do ano.

Título original: AKU WA SONZAI SHINAI

De: RYŪSUKE HAMAGUCHI

Drama, JAP, 2023, cores, 106 min., M/12

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Sáb, 01 Jun
15:00

Teatro Sá da Bandeira

Sáb, 1 jun - 15h00 e 17h00 Seg, 3 jun - 10h00 e 11h15 - Prioridade Público Escolar Teatro/Música | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária dos 0 aos 5 anos | Duração 45 min.

Teatro PaPI Opus 8 Companhia de Música Teatral
LER MAIS
PaPI Opus 8
PaPI Opus 8, Companhia de Música Teatral

Sáb, 1 jun - 15h00 e 17h00

Seg, 3 jun - 10h00 e 11h15 - Prioridade Público Escolar

Teatro/Música | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária dos 0 aos 5 anos | Duração 45 min.

Preço 5€ I Prioridade Público Escolar (gratuito) | Gratuito para crianças quando acompanhadas por adulto

Sinopse: Opus 8 é filho de “Orizuro”. Voa por creches e jardins-de-infância porque é lá que encontra os meninos e as meninas com quem gosta de brincar. É ágil e colorido. Canta e viaja ao sabor dos sons e do movimento. A sua chegada é anunciada e a sua visita deixa vontade de o voltar a ver mais tarde, mais crescido, mas sempre pronto para brincar.

Ficha Técnica

Conceção e produção Companhia de Música Teatral | Linguagem principal Música (voz e percussão) e Movimento | Intérprete Inês M. Rodrigues

Biografia

A Companhia de Música Teatral explora a Música como ponto de partida para a interação entre várias técnicas e linguagens de comunicação artística dentro de uma estética que vai da “música cénica” ao “teatro-musical”. A CMT tem desenvolvido um trabalho de articulação entre a investigação académica, a produção artística, a criação tecnológica, o envolvimento da comunidade e a divulgação de ideias sobre a importância da experiência musical em especial nas idades mais precoces. Este trabalho concretiza-se sob formas muito diversas: espetáculos, workshops, projetos educativos, edições, etc. e tem a preocupação de desenvolver de forma integrada aspetos artísticos e educativos, como expressa a designação atual do seu trabalho “desenvolvimento de constelações artístico-educativas”. O trabalho da CMT desenvolvido para e com crianças tem tido especial relevância, sendo internacionalmente reconhecido pela originalidade estética, pela solidez da fundamentação científica e também pela calorosa receção do público em geral. A Companhia de Música Teatral tem contado com o apoio regular da DG Artes, é membro da RESEO e tem apresentado os seus trabalhos em Portugal, Brasil, Espanha, Dinamarca, Polónia, EUA, Canadá, Alemanha, Bélgica, Finlândia, França, Áustria, África do Sul, Lituânia, Macau e China.

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt

A programação do Teatro Sá da Bandeira tem o apoio: República Portuguesa - Cultura I DGARTES – Direção-Geral das Artes e da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses
Seg, 03 Jun
10:00

Teatro Sá da Bandeira

Seg, 3 jun - 10h00 e 11h15 - Prioridade Público Escolar Teatro/Música | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária dos 0 aos 5 anos | Duração 45 min.

Teatro PaPI Opus 8 Companhia de Música Teatral
LER MAIS
PaPI Opus 8
PaPI Opus 8, Companhia de Música Teatral

Seg, 3 jun - 10h00 e 11h15 - Prioridade Público Escolar

Teatro/Música | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária dos 0 aos 5 anos | Duração 45 min.

Preço 5€ I Prioridade Público Escolar (gratuito) | Gratuito para crianças quando acompanhadas por adulto

Sinopse: Opus 8 é filho de “Orizuro”. Voa por creches e jardins-de-infância porque é lá que encontra os meninos e as meninas com quem gosta de brincar. É ágil e colorido. Canta e viaja ao sabor dos sons e do movimento. A sua chegada é anunciada e a sua visita deixa vontade de o voltar a ver mais tarde, mais crescido, mas sempre pronto para brincar.

Ficha Técnica

Conceção e produção Companhia de Música Teatral | Linguagem principal Música (voz e percussão) e Movimento | Intérprete Inês M. Rodrigues

Biografia

A Companhia de Música Teatral explora a Música como ponto de partida para a interação entre várias técnicas e linguagens de comunicação artística dentro de uma estética que vai da “música cénica” ao “teatro-musical”. A CMT tem desenvolvido um trabalho de articulação entre a investigação académica, a produção artística, a criação tecnológica, o envolvimento da comunidade e a divulgação de ideias sobre a importância da experiência musical em especial nas idades mais precoces. Este trabalho concretiza-se sob formas muito diversas: espetáculos, workshops, projetos educativos, edições, etc. e tem a preocupação de desenvolver de forma integrada aspetos artísticos e educativos, como expressa a designação atual do seu trabalho “desenvolvimento de constelações artístico-educativas”. O trabalho da CMT desenvolvido para e com crianças tem tido especial relevância, sendo internacionalmente reconhecido pela originalidade estética, pela solidez da fundamentação científica e também pela calorosa receção do público em geral. A Companhia de Música Teatral tem contado com o apoio regular da DG Artes, é membro da RESEO e tem apresentado os seus trabalhos em Portugal, Brasil, Espanha, Dinamarca, Polónia, EUA, Canadá, Alemanha, Bélgica, Finlândia, França, Áustria, África do Sul, Lituânia, Macau e China.

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt

A programação do Teatro Sá da Bandeira tem o apoio: República Portuguesa - Cultura I DGARTES – Direção-Geral das Artes e da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses
Ter, 04 Jun
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cineclube de Santarém 20 MIL ESPÉCIES DE ABELHAS Cinema | de Estibaliz Urresola Solaguren
LER MAIS
20 MIL ESPÉCIES DE ABELHAS
Cinema | 20 MIL ESPÉCIES DE ABELHAS, de Estibaliz Urresola Solaguren

Cinema | Ter, 4 jun | 21h30 | Teatro Sá da Bandeira

Preço público geral » 5€ | sócios Cineclube » 2,5€ | bilhete jovem até 30 anos » 1€ | bilhete jovem até 30 anos sócio cineclube » entrada gratuita

Sinopse: Uma criança de oito anos sofre com o facto de as pessoas se dirigirem constantemente a ela de formas confusas. Durante um Verão no País Basco, entre colmeias, ela explora a sua identidade acompanhada por mulheres da sua família, que, por sua vez, reflectem sobre as suas próprias vidas e os seus desejos.

Título original: 20.000 especies de abejas

De: Estibaliz Urresola Solaguren

Drama, ESP, 2023, cores, 125 min., M/12

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Qua, 12 Jun
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cineclube de Santarém REINO ANIMAL Cinema | de Thomas Cailley
LER MAIS
REINO ANIMAL
Cinema | REINO ANIMAL, de Thomas Cailley

Cinema | Qua, 12 jun | 21h30 | Teatro Sá da Bandeira

Preço público geral » 5€ | sócios Cineclube » 2,5€ | bilhete jovem até 30 anos » 1€ | bilhete jovem até 30 anos sócio cineclube » entrada gratuita

Título original: La Règne Animal

De: Thomas Cailley

Drama, Aventura, FRA, 2023, cores, 128 min., M/12

Sinopse: Anos após se ter percebido que, devido a uma série de mutações genéticas, alguns humanos se vão gradualmente convertendo em animais com variadíssimas especificidades, as pessoas vão criando formas de se adaptarem a essa nova circunstância. Para isso, foram criadas áreas protegidas onde essas criaturas híbridas são libertadas e podem viver pacificamente. Quando se apercebe dos primeiros sinais dessa transmutação, uma família faz os possíveis por se manter unida.

Com realização de Thomas Cailley, que co-escreve o argumento em parceria com Pauline Munier, este drama de ficção científica foi escolhido para filme de abertura da secção Un Certain Regard do Festival de Cinema de Cannes, em Maio de 2023.

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Sáb, 15 Jun
10:00

Sala de Leitura Bernardo Santareno


Workshop Roblox Studio Workshop (literacias digitais)
LER MAIS
Roblox Studio
Workshop (literacias digitais) “Roblox Studio”

Sáb, 15 Jun., 10h00 | Sala de Leitura Bernardo Santareno | Workshop

Para jovens a partir dos 14 anos

Inscrições: slbernardosantareno@cm-santarem.pt / tel. 243 304 649
Sáb, 15 Jun
16:00

Casa Pedro Álvares Cabral/Casa do Brasil


Conversas Homenagem de Santarém ao pintor Silva Palmeira Colóquio
LER MAIS
Homenagem de  Santarém ao pintor Silva Palmeira
HOMENAGEM DE SANTARÉM AO PINTOR SILVA PALMEIRA

Dia 15 de Junho (sábado) - 16h00 - Casa do Brasil

— Colóquio — Silva Palmeira e a pintura em Santarém e em Portugal — 1934-2024. Com a participação de Emília Pacheco, Jorge Custódio, João Prates, Júlio Pêgo e Luís Machado.

— Os poetas de Silva Palmeira. Recital de Poesia. Poemas ditos por Luís Machado

— Lançamento e apresentação do Livro da Obra do Pintor Silva Palmeira

Qua, 26 Jun
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cineclube de Santarém BAAN – CASA Cinema | de Leonor Teles
LER MAIS
BAAN – CASA
Cinema | BAAN – CASA, de Leonor Teles Cinema | Qua, 26 jun | 21h30 | Teatro Sá da Bandeira Preço público geral » 5€ | sócios Cineclube » 2,5€ | bilhete jovem até 30 anos » 1€ | bilhete jovem até 30 anos sócio cineclube » entrada gratuita Sinopse: Passado, presente – e talvez futuro – entrelaçam-se num carrossel que acelera uma juventude em tumulto. A vida adulta, relacionamentos traumáticos e a carreira, são avassaladores, numa história que começa quando L conhece K. Título original: BAAN De: Leonor Teles Ficção, POR, 2023, 100 min., M/12 Teatro Sá da Bandeira Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00 Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC. Contactos: T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt