Sex, 03 Mar
10:30

Teatro Sá da Bandeira

Classificação Etária: M/3
Público Alvo: prioridade público escolar
Duração: 45 minutos
Preço: criança gratuito; adulto 5€ Descontos: escolas gratuito; famílias – gratuito para crianças acompanhadas por adultos

Lotação: 188 lugares



Teatro Sá da Bandeira
Teatro

O Urso que não Era

Direção Artística Filipa Mesquita e Márcia Leite

O Urso que não Era

Teatro

Sex, 3 mar. | 10h30 - prioridade público escolar

Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária M/3 | Duração 00h45 | Preço: criança gratuito; adulto 5€

Descontos: escolas gratuito; famílias – gratuito para crianças acompanhadas por adultos

Sinopse:

“O URSO que NÃO ERA” é a história de um urso que vivia numa floresta. “Quando os gansos migram para sul e as folhas das árvores ficam amarelas, vermelhas ou castanhas e começam a cair, o Urso procura um lugar para dormir, dormir o seu sono de inverno, hibernar até a primavera...” normal e de acordo com a sua natureza. Mas, enquanto dorme, tudo vai mudar... e quando acordar na primavera, espera-lhe uma grande surpresa...

Uma analogia brilhante à época, mas muito atual tanto pela crítica à perda de identidade, como também, e intrinsecamente, pela abordagem ao capitalismo, a indiferença e a diferença, as rotinas, a poluição e destruição da natureza.

Este apelo à reflexão de uma forma tão cómica é soberbo. Quem somos? Ursos? Homens tontos? Ou o quê?

Ficha Técnica e Artística

Direção Artística Filipa Mesquita, Márcia Leite | Texto Frank Tashlin “The Bear That Wasn’t” | Tradução Miguel Gouveia | Encenação Filipa Mesquita | Interpretação Márcia Leite | Composição Musical Ricardo Augusto | Cenografia Marta Fernandes da Silva apoio José Luís Loureiro | Marionetas Rúben Gomes apoio Hélder Silva | Adereços Marta Fernandes da Silva, Rúben Gomes | Figurinos Vânia Kosta | Desenho de Luz César Cardoso | Fotografia de Cena Raquel Balsa | Vídeo Promocional Zito Marques | Design Raquel Balsa | Ilustrações Rúben Gomes | Coordenação Geral Márcia Leite | Apoio a Produção Carmelina Leite e Joana Miranda

PROJETO FINANCIADO POR Governo de Portugal - Direção Geral das Artes, Fundação Lapa do Lobo | APOIO Município de Viseu > Quinta da Cruz - Centro de Arte Contemporânea, Museu Municipal de Espinho, Fórum de Arte e Cultura de Espinho, Museu Nacional Grão Vasco | PARCEIROS Teatro e Marionetas de Mandrágora, oficina do Zé ferreiro | AGRADECIMENTOS Ana Filipa Rodrigues

Biografias

Márcia Leite. Nasceu em Belo Horizonte, Brasil (1974). Em 1990 foi parar a Viseu, onde conhece um grupo de teatro de fantoches, Grupo Noz, o seu interesse e gosto pelo teatro e pelas marionetas nasce aí e a acompanha até hoje.

O caminho faz-se caminhando. ...fazer, entregar, resistir. O seu percurso leva-a ao ensino da Matemática e Ciências da Natureza (2005-2012), nunca deixando o teatro. Em 2012, conclui o mestrado em Artes Performativas na Escola Superior de Educação de Viseu, cujo projeto final foi o mote para o desenvolvimento de vários trabalhos com a comunidade – “Criação Artística Multidisciplinar – Projeto ComUnidade”, assumindo-se a partir desse momento como performer e criadora artística.

Encenou diversas criações e integrou como intérprete espetáculos e performances da sua autoria bem como encenados por outros criadores para a Zunzum – Associação Cultural.

Tem dado continuidade à sua formação, estando neste momento a frequentar o doutoramento em Artes, da Universidade de Lisboa. É ainda, Professora convidada do Departamento de Comunicação e Arte, da Escola Superior de Educação de Viseu. No seu trabalho como artista procura novas abordagens e perspetivas da criação artística e na sua importância para a cultural e arte.

Filipa Mesquita. Nasceu no Porto em 1976, dedica-se ao teatro de marionetas desde 1996. Concluiu o Ensino Secundário em Artes em 1995. Frequentou a Universidade Lusíada em Arquitetura em 1996. Formada em Interpretação pela ACE - Academia Contemporânea do Espetáculo na área de interpretação em 1999.

Possui o Curso Profissional de Teatro de Formas Animadas 2002, tendo uma vasta formação com atores, dramaturgos, cenógrafos e marionetistas nacionais e internacionais. Desde 1999 que se tem deslocado a vários países para realizar formações e apresentar o seu trabalho na vertente do teatro de objetos.

Funda a companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora em 2002. Encenou diversas criações e integrou como intérprete inúmeros espetáculos da sua autoria bem como encenados por outros criadores para a Companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora. Apresentou-se um pouco por todo o território nacional, e ilhas em vários teatros e espaços culturais e de programação.

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público:

3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Contactos:

T. 243 309 460 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
O Urso que não Era